A prostituição nos dias de hoje

Como todos sabem, a prostituição é uma das coisas mais comuns no nosso quotidiano , principalmente nos portos de Atenas  e em Esparta.

Mas o que poucos sabem é  que estas prostitutas podem ser enquadradas em várias categorias. Na parte inferior da escala encontram-se as pornai, são as escravas. Elas trabalham para os donos de bordéis , e tiram uma parte do dinheiro para sua própria economia.

Depois das pornai, podemos citar as chamadas prostitutas independentes , que são aquelas moças que vemos andando em Atenas com frases nas sandálias (frases como siga-me) , geralmente são estrangeiras que não conseguem emprego, viúvas pobres, etc.

E na classe mais altas das prostitutas podemos colocar as hetairas , que são independentes e podem ingerir seu próprio bem .

A prostituição não é sagrada,  geralmente a prostituição é feita por motivos econômicos , e quem com toda essa política, a religião anda sendo esquecida nos dias de hoje . Não foi totalmente esquecida, mas não é um fator dominante na política de hoje em dia.

Representação da prostituição

Você quer saber mais sobre Esparta ?

A cidade Esparta, localiza-se na Península do Peloponeso, na região da Lacônia. Tem  boas terrase é uma cidade militarista e oligárquica.

A sociedade espartana é dividida em três classes: esparciatas , hilotas e periecos.

Os esparciatas são os cidadão espartanos, formam a aristocracia, exploram o trabalho servil na agricultura;

Os hilotas correspondem a massa da população vencida e submetida a servidão coletiva;

As nossas línguas…

Temos diversas línguas espalhadas pelo nosso território… saiba mais sobre algumas delas: O proto-grego ou protogrego é o suposto ancestral comum a todas as variedades do grego, incluindo omicênico, o grego clássico e seus dialetos (ático-jônico, eólico, dórico e o grego do noroeste)

Existem também outros dialetos como o arcado ,jónicolócriomacedóni

E os periecos são  formados por artesãos e comerciantes. Não tem direitos políticos.

Juliano Leite Gatti

1º Ano Hilda Bergo


About this entry